segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Screencast no Linux


Screencast no Linux

Depois que comecei a fazer o curso AppEngine e Python: você programa e o Google escala!, muita gente me perguntou como eu estava fazendo o screencast no Linux. Então vou comentar as ferramentas que estou utilizando e algumas que usei, mas não funcionaram bem.

Qualidade do áudio

A primeira coisa que você deve prestar atenção quando for gravar screencast é o aúdio. Os microfones dos laptops atuais servem para você conversar no Skype ou Hangout. Já para gravação deixam a desejar, por conta dos ruídos e chiados.

Para resolver esse problema, comprei um microfone USB da Microsoft (Obs: o hardware da M$ costuma ser muito bom, apesar do Windows =P). Como a entrada de microfone comum (p2) costuma não ser muito boa para captação, escolhi esse modelo USB.

Captura de vídeo

Inicialmente eu tentei utilizar o Record my Desktop mas houve problemas. Ele grava utilizando a extensão ogv e o arquivo fica enorme. Além disso, na hora de fazer recortes durante a edição, o aúdio ficava dessincronizado com o vídeo. E quanto maior o recorte, pior ficava, inviabilizando o seu uso.

Existe também a opção de linha de comando que meu amigo Tony Lâmpada postou em seu blog. Mas ainda sim pode ser problemático se você estiver usando um monitor adicional.

Por fim o programa que estou usando hoje é o Kazam . Ele já possui opção de fazer o encoding em mp4; permite fazer o setup dos inputs de aúdio e vídeo, em termos harware; quadros por segundo e também que se faça o screencast de uma porção limitada da tela. Disparado o melhor que econtrei.

Edição de vídeo

Para edição, estou utilizando o Kdenlive. A interface de edição dele é simples e lembra um pouco a interface do do Camtasia, apesar de não ter tantos recursos. Mas para recortes é perfeito.

Screenshot

Apesar de não ter relação direta com vídeo, uso o Shutter para fazer screeshots. Ele permite fazer a captura de uma janela específica, economizando o tempo de você ter que recortar a imagem. Possui também recurso de timer para que você possa fazer a captura de acesso a menus de contexto de programas, o que é impossível apenas utilizando o printscreen.

Enfim, se o software era sua desculpa para não gravar aquele curso bacana que está na sua cabeça, agora isso não é mais problema.

Abraços e até o próximo post.
Postar um comentário